Cartuna

Já alguma vez ouviste falar da Cartuna?

A Cartuna foi a 1ª revista em BD de Tunas lançada em Portugal,decorria o ano de 1998 sendo que foi lançada apenas uma edição com cerca de 500 exemplares.

Já alguma vez ouviste falar da Cartuna?

A Cartuna foi a 1ª revista em BD de Tunas lançada em Portugal,decorria o ano de 1998 sendo que foi lançada apenas uma edição com cerca de 500 exemplares.

Podes ver exemplos de algumas páginas aqui.

Podes ver exemplos de algumas páginas aqui.

Zé Mosquito

Pensando na sua carreira de vagabundo político que tarda em chegar, Zé Mosquito, sério nas suas convicções, candidata-se ao ISVOUGA.
Porém, nas suas reflexões nocturnas, apercebe-se que o trabalho estudantil, ignorado à partida pelo nosso herói, era uma utopia fossal, sim um excremento nasal, um dejecto social, resumindo, um poio de merda.
No entanto, contrariando a sua própria natureza, Zé Mosquito tirou fotocópias e ao lê-las o seu ser evaporou-se. Gritou: “Evoé, Evoé, Evoé, eis o sangue adorado, glorificado e prostro perante mim… *!?%$#!!!”
Ao fim do terceiro dia Zé Mosquito tinha descoberto o vinho! Desde então a lua amarra-o para todo o sempre, além do infinito,… jamais verá o sol. As suas pupilas passaram a ver em “Pal-Plus”.

Pensando na sua carreira de vagabundo político que tarda em chegar, Zé Mosquito, sério nas suas convicções, candidata-se ao ISVOUGA.
Porém, nas suas reflexões nocturnas, apercebe-se que o trabalho estudantil, ignorado à partida pelo nosso herói, era uma utopia fossal, sim um excremento nasal, um dejecto social, resumindo, um poio de merda.
No entanto, contrariando a sua própria natureza, Zé Mosquito tirou fotocópias e ao lê-las o seu ser evaporou-se. Gritou: “Evoé, Evoé, Evoé, eis o sangue adorado, glorificado e prostro perante mim… *!?%$#!!!”
Ao fim do terceiro dia Zé Mosquito tinha descoberto o vinho! Desde então a lua amarra-o para todo o sempre, além do infinito,… jamais verá o sol. As suas pupilas passaram a ver em “Pal-Plus”.

Que tipo de gente (pensarão vocês) escolhe para sua mascote um ser tão rasca, nojento, asqueroso e degradado?
Fácil. Imaginem um grupo de “pessoas normais” onde há vinte e muitas opiniões diferentes, maneiras de pensar, de agir e com objectivos diferentes. Este cenário gera uma confusão “Dantesca”, logo, como somos pessoas inteligentes e instruídas, sabemos que a única forma de resolver os problemas é aceitá-los e assumi-los de forma a poderem ser solucionados.
Assim adoptamos para nossa mascote o Zé Mosquito que por um lado representa a boémia que nos é intrínseca e ao mesmo tempo representa todos os problemas e dificuldades criadas pelos Tunos para bom entendimento entre o grupo. Desta forma estamos preparados para enfrentar as adversidades que o futuro nos reserva e contornar todas as vicissitudes extremistas, radicais, xenófobas, despropositadas, infantis, incoerentes, aberrantes, fascistas, (e é melhor ficar por aqui…) do Barreto e de todos nós.

Que tipo de gente (pensarão vocês) escolhe para sua mascote um ser tão rasca, nojento, asqueroso e degradado?
Fácil. Imaginem um grupo de “pessoas normais” onde há vinte e muitas opiniões diferentes, maneiras de pensar, de agir e com objectivos diferentes. Este cenário gera uma confusão “Dantesca”, logo, como somos pessoas inteligentes e instruídas, sabemos que a única forma de resolver os problemas é aceitá-los e assumi-los de forma a poderem ser solucionados.
Assim adoptamos para nossa mascote o Zé Mosquito que por um lado representa a boémia que nos é intrínseca e ao mesmo tempo representa todos os problemas e dificuldades criadas pelos Tunos para bom entendimento entre o grupo. Desta forma estamos preparados para enfrentar as adversidades que o futuro nos reserva e contornar todas as vicissitudes extremistas, radicais, xenófobas, despropositadas, infantis, incoerentes, aberrantes, fascistas, (e é melhor ficar por aqui…) do Barreto e de todos nós.

Close Menu